quinta-feira, julho 26, 2007

Política, Religião e Futebol não se Discute?

Que são três assuntos muito polêmicos, nós sabemos, mas são os melhores para se botar na mesa de um bar, nas horas de insônia com os amigos ou até mesmo uma desculpa para brigar com alguém. Mas o que mais me intriga é que para ter "nascido" a política, a religião e o futebol com certeza houve muitos diálogos e discussões. E agora, se prolongássemos os bate-bocas, nós não conseguiríamos fazer com que surgissem tópicos dissidentes desses, transformando o mundo? Tipo; novos conceitos de política, como por exemplo: "Só as mães comandam, nova doutrina, a Matercracia." Ou obter mais religiões, digo religiões mesmo, não "comedeira" de dinheiro, como por exemplo: a Igreja das Ovelhas Negras da Família (com certeza Rita Lee faria parte dela). E ainda inventar um novo jeito de jogar futebol, com o cotovelo quem sabe: o Cotobol. Sim, é muito bom discutir, é saudável e faz com que busquemos nossa criatividade mais insana e profunda de nossos cérebros. Por isso: meta um gol na CPI do apagão aéreo, Amém!

2 comentários:

Marcos, o Camillo disse...

na minha humilde opinião, o problema de discutir qualquer assunto é quando as pessoas começam a discussão com o intuito de impor sua opinião e provar que ela está certa sem levar em conta a "suposta lógica que 'supostamente' comanda o universo" heheh, então em outras palavras e talvez isso seja mal interpretado, o grande problema chama-se "fé", (não só no sentido religioso) e sim em suas certezas, tudo o que vai contra suas crenças está absolutamente errado...á propósito, meu raciocínio pode estar errado, então me ajude a pensar muié =*

Douglas disse...

Poderiamos incluir nesse quesito de "problemas dialogaveis" temas, tão quanto ou ate com maior complexibilidade, como o: AMOR;sexo; Mulher?!; Homem?!
Caracas, são posicionamentos complexos!
Mas, os temas escolhidos pela senhorita "aventureira", sao usados de forma muito ampla e ai quando usada a palavra "política" logo se pensa em "ação de políticos ou atuação do governante do local discutido em questão", isso é de forma gritante errôneo. Vê-se uma "ignorância léxica" causado na formação da opinao pública ao veicular essas palavras em fontes de "massa" que logo serão reproduzidas pela "rodas de discussões" nas mesas de bares como passatempo ou mesmo em qualquer lugar, apenas para isso, passatempo!
Digo e esclareço porque declaro que são passatempos, isso da fato é vero, já que tua indignação ou critica nao chegara a um veiculo de "manipulação" de massas para que possa mudar isso, nem mesmo a cultura, esclarecidas por alguns amigos como "fé"!
Sendo assim, todas as discussões geram conflitos que nem sempre são conduzidos para o bem de todos, para mudanças! Discutir temas complexos é complexo e perfeito, se nem Freud explica...nós lemos "Unindo o Fútil ao Agradável" para entendermos a explicação cotidiana!
- esse finalzinho foi só pra descontrair um pouco!hauahua"